Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Apenados da 8ª Região concorrem a cinco vagas em cursos de EAD na Univates

Publicação:

Provas foram aplicadas pelo Núcleo Estadual de Educação de Jovens e Adultos (NEEJA) nas unidades prisionais de Lajeado, Arroio do Meio e Venâncio Aires
Provas foram aplicadas pelo Núcleo Estadual de Educação de Jovens e Adultos (NEEJA) em três unidades prisionais
Por Imprensa SJSPS

Nesta quinta-feira (13), 11 apenados das unidades prisionais de Lajeado, Arroio do Meio e Venâncio Aires, localizadas na 8ª Região Penitenciária, participaram de um processo seletivo para concorrer a cinco vagas em cursos de ensino superior na modalidade de Educação à Distância (EAD) na Universidade do Vale do Taquari (Univates). As provas foram aplicadas pelo Núcleo Estadual de Educação de Jovens e Adultos (NEEJA), e a divulgação dos resultados será feita no próximo dia 18.

 

Os participantes são detentos do regime fechado, e aqueles que passarem serão transferidos ao Presídio Estadual de Arroio do Meio (PEAM). Isso acontecerá pelo fato de a unidade possuir uma estrutura mais adequada, onde poderá ser instalada uma sala de vídeo, para que eles possam assistir às aulas, que começarão no dia 14 de fevereiro. 

 

Ao todo, são oferecidos 18 cursos de graduação na modalidade EAD, dentre os quais estão os de História, Letras, Logística, Pedagogia e Processos Gerenciais. Com a iniciativa, a Região passará a ter dois polos de estudo prisional: um da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), no Vale do Rio Pardo, e, agora, um da Univates, no Vale do Taquari.

Apenados da 8ª Região concorrem a cinco vagas em cursos de EAD na Univates

Para o Secretário de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo, Mauro Hauschild, ações como essa merecem destaque e devem ser incentivadas cada vez mais. Ele salienta que o sistema penitenciário, através da Secretaria e da Susepe, tem duas funções principais: criar um ambiente para que o detento fique afastado da sociedade e cumpra sua pena e, principalmente, propiciar a ressocialização.

 

“Esperamos que essas pessoas retornem ao convívio social mais qualificadas e preparadas para se reinserirem, sem a necessidade de voltarem para o crime”, afirma. “Eu acredito que, com a garantia do acesso à educação superior, eles poderão, sim, voltar para a sociedade e exercer as suas novas profissões”, complementa.

 

Até o final do ano, o objetivo é expandir as parcerias com universidades para todas as regiões do Estado, ofertando um total de 50 vagas no ensino superior. Para o secretário, essa é uma política de Estado e de interesse da sociedade, pois visa também disponibilizar uma mão de obra qualificada ao mercado. Aos detentos, há uma dupla motivação: é uma oportunidade de formação profissional e de remição de pena.

 

Hauschild lembra ainda que boa parte da população carcerária é de jovens entre 18 e 29 anos, faixa etária em que eles deveriam estar economicamente ativos. “É uma população que deveria estar trabalhando, estudando e sendo preparada, mas está cumprindo pena. Por isso, a educação é o nosso grande desafio”, completa. A proposta da Secretaria, então, é mudar essa relação, garantindo mais oportunidades aos apenados. 



SJSPS - Secretaria de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo